| ASSINE | ANUNCIE
| | | |
Iniciativa.

Avanços na proteção às mulheres em SC

Em todo o Estado já são 65 Procuradorias da Mulher, entre elas a de Gaspar

A Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) celebrou na quinta-feira (16) um ano de implantação da Procuradoria Especial da Mulher (PEM), ato considerado como um marco na representatividade e na visibilidade da mulher na política. O órgão tem como finalidades a defesa e a promoção da igualdade de gênero, da autonomia, do empoderamento e da representação das mulheres, além do enfrentamento da discriminação e da violência contra a mulher, bem como o fortalecimento e a divulgação da rede de proteção das mulheres nos municípios.

A responsável pela Procuradoria da Mulher na Alesc, deputada Ada de Luca (MDB), afirmou que a procuradoria representa um meio seguro para libertar a mulher da opressão. "É uma porta que se abre junto àquela mulher, àquela vítima, levando ela aos lugares certos, para que ela não ficar 'rolando' sem saber para onde ir para apresentar sua denúncia de violência doméstica."

Procuradora-adjunta da Procuradoria Especial da Mulher, deputada Marlene Fengler (PSD), enfatiza a importância do órgão. "Esse ano é para refletir sobre o resultado da criação do órgão que, para mim, foi extremamente positivo porque conseguimos aumentar o número de procuradorias em Santa Catarina, saímos de 27 e já estamos com 65 e mais 20 que estão para ser implantadas.

Gaspar

Entre as Procuradorias da Mulher instaladas em 2021 está a da Câmara de Vereadores de Gaspar. O órgão iniciou o trabalho no fim do ano passado, a pedido da bancada feminina, até então formada pelas vereadoras Franciele Back, Mara dos Santos e Zilma Mônica Sansão Benevenutti.

O primeiro passo foi conhecer as procuradorias já instaladas em outros municípios da região, bem como a Procuradoria Estadual, para entender seu funcionamento.

Além disso, as vereadoras fizeram contato e visitas a todos os órgãos de proteção em Gaspar, como secretarias de Saúde e Assistência Social, conselho da Mulher, polícias Civil e Militar, Ministério Público e Poder Judiciário para falar sobre o projeto e firmar parcerias.

Depois da instalação da Procuradoria em Gaspar, foi preciso estabelecer o protocolo de atendimento, conforme orientações da Procuradoria Especial da Mulher na Alesc. "Em paralelo, também trabalhamos para estruturar na nossa Casa de Leis uma sala especial - um espaço reservado e voltado exclusivamente para o atendimento destas mulheres, para que elas possam se sentir confortáveis e seguras ao relatar sua situação", explica a procuradora da Mulher em Gaspar, a vereadora Zilma Mônica Sansão Benevenutti. Folders sobre a procuradoria também foram produzidos e distribuídos à comunidade.

Em janeiro deste ano, a Procuradoria de fato iniciou os trabalhos com o público feminino em Gaspar. Cabe ressaltar que a Procuradoria não foi instalada apenas para orientar e amparar mulheres vítimas de violência e encaminhá-las ao atendimento necessário, mas sim promover ações visando seu empoderamento e independência, por meio de informações.

Neste sentido, a Procuradoria da Mulher em Gaspar promoveu, em março, uma palestra gratuita sobre Educação Financeira para Mulheres. Neste mês, a própria vereadora Zilma, que tem formação no Magistério, proferiu palestra às mulheres agricultoras de Gaspar, a convite da extensionista rural da Epagri, Sônia Maria de Medeiros. O tema foi "O papel das mulheres na sociedade".

"Sabemos que a informação pode mudar o mundo. Estas ações foram promovidas a fim de orientar as mulheres a se tornarem mais independentes e a acreditarem em seu potencial. Nosso propósito é mostrar ao público feminino que elas não estão sozinhas e que, apesar de muitos falarem o contrário, elas tem sim potencial suficiente para ocupar o cargo que quiserem ou desenvolverem qualquer atividade que desejarem", afirma Zilma.

As vereadoras também acompanharam a inauguração da Sala Lilás na delegacia de polícia de Gaspar, espaço exclusivo para o atendimento de mulheres.

Em relação aos atendimentos presenciais, nestes seis primeiros meses apenas uma mulher procurou ajuda na Procuradoria. "Está vítima relatou sua situação, foi orientada e conseguiu ajuda no órgão responsável. Pode parecer pouco, mas se ajudarmos a salvar uma vida que seja, já estaremos satisfeitas, pois toda vida é valiosa" defende. A Procuradora afirma, porém, que a procuradoria ainda está dando os primeiros passos e acredita que os atendimentos vão aumentar conforme a promoção de ações. "É um trabalho de formiguinha, mas estamos confiantes no sucesso. Já estamos programando novos eventos para o segundo semestre e assim que estiver tudo definido, vamos divulgar", finaliza.

LEIA TAMBÉM



JORNAL METAS - Rua São José, 253, Sala 302, Centro Empresarial Atitude - (47) 3332 1620

| | | |

JORNAL METAS | GASPAR, BLUMENAU SC

(47) 3332 1620 |