| ASSINE | ANUNCIE
| | | |
EXEMPLO

Vítima compartilha informações sobre violência doméstica em SC

Ana Paula usa a rede social para pregar a desconstrução de uma sociedade patriarcal

Vítima de violência doméstica, a estagiária de Direito do Fórum da Comarca de Balneário Camboriú, Anna Paula Nienkotter Tavares, encontrou nas redes sociais um meio para abordar o tema. Por meio da rede social Instagram - @direitoeinformacao10 - a futura advogada publica posts com informações. O último deles foi um vídeo em que ela explana sobre o Dia Internacional de Reflexão para Eliminação da Violência Contra a Mulher, instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) no ano de 1999 e celebrado nesta quinta-feira (25).

"Meu intuito é levar a reflexão da história da mulher no mundo, a violência que ainda existe e fazer crianças e jovens perceberem como as mulheres ainda precisam quebrar paradigmas apesar de já terem conquistado muitas coisas, mas acima de tudo, que a igualdade de gênero precisa ser respeitada e percebida por todos nós para evolução da nossa sociedade e, consequentemente, obtermos a diminuição dos índices da violência contra a mulher", cita Anna ao afirmar que ações como esta, de colocar vídeos nas redes sociais e fazer palestras para reflexão da violência contra a mulher, podem dar início a um olhar para a sociedade ainda tão patriarcal.

Neste ano a acadêmica de Direito compartilhou o seu conteúdo on-line em eventos presenciais. Um vídeo do projeto #naocaleasuavoz foi exibido durante as atividades do 1º Agosto Lilás de Camboriú, ela também participou do 1° Café Rosa com a palestra "Violência Doméstica e a Necessidade de Desconstruírmos a Sociedade Patriarcal em que Vivemos", ministrada na Câmara de Vereadores de Camboriú, e nesta semana (22/11) debateu o tema na Câmara de Vereadores de Porto Belo, durante uma audiência promovida pela Procuradoria Especial da Mulher de Porto Belo, com alusão ao dia 25 de novembro.

"Em 2022 continuarei levando a reflexão da sociedade, bem como a necessidade da desconstrução de pensamentos machistas para diminuirmos os índices de violência doméstica contra a mulher. Nós mulheres somos julgadas todos os dias, e para desconstruir isso precisamos quebrar paradigmas e assim, acabar com preconceitos que ainda estão enraizados na nossa sociedade", observa.



LEIA TAMBÉM

JORNAL METAS | GASPAR, BLUMENAU SC

(47) 3332 1620 |




JORNAL METAS - Rua São José, 253, Sala 302, Centro Empresarial Atitude - (47) 3332 1620

| | | |