| ASSINE | ANUNCIE


Crime

Policia prende suspeito de matar professor indígena

12 Janeiro 2018 00:06:00

Acusado foi preso em Gaspar após ficar foragido por mais de 10 dias

Redação Jornal Metas
Gilmar César de Lima (2).JPG
Foto: Divulgação/Policia Civil
Criminoso havia se escondido na casa de parentes após cometer o assassinato

Um crime que chocou Santa Catarina e ganhou repercussão nacional teve um novo capítulo nesta sexta-feira (12). Após 11 dias de procura, as Polícias Civil e Militar localizaram e prenderam Gilmar Cesar de Lima, de 22 anos, suspeito de matar o professor indígena Marcondes Nambla, de 36 anos, espancado de forma violenta em Penha no primeiro dia do ano. O vídeo de uma câmera de segurança registrou o momento em que o suspeito atinge o professor com um pedaço de pau. Gilmar foi preso na manhã desta sexta-feira (12), em Gaspar. Gilmar estava escondido em uma quitinete na Rua Rodolfo Vieira Pamplona, no bairro Gaspar Mirim.

De acordo com a Polícia, o suspeito residia em Gaspar há bastante tempo, mas, depois de cometer um crime no município fugiu para a cidade de Penha, onde cometeu o segundo assassinato, o do professor Nambla. O suspeito responde ainda por outros crimes: roubo, lesão corporal e tentativa de homicídio contra uma ex-namorada e ex-sogra quando ainda morava em Gaspar.

Segundo informações, com a divulgação do assassinato do professor e do vídeo nas redes sociais, várias denúncias anônimas chegaram até a Polícia Civil afirmando que o suspeito estaria escondido na casa de familiares e amigos em Gaspar. A partir desta informação, um levantamento foi realizado de quais residências poderiam estar sendo usadas como esconderijo pelo suspeito. Com mandado de busca e apreensão expedido pelo justiça, houve diligências em oito locais diferentes desde o dia em que Gilmar foi reconhecido. Mais de 40 policiais civis e militares de Itajaí, Gaspar, Brusque e Blumenau trabalharam das buscas que terminaram com prisão de Gilmar, que estava na casa de uma de suas irmãs. 

Para a polícia, o suspeito admitiu ter matado o professor após um desentendimento. Ele alega que a vitima teria mexido com o seu cachorro e, por isso, atacou o professor indígena com um pedaço de pau. Gilmar poderá responder por homicídio por motivo fútil. Após ser ouvido, o suspeito foi encaminhado para o presídio de Blumenau onde aguardará decisão da justiça. Além do assassinato do professor, Gilmar também tinha um mandado de prisão em aberto por uma tentativa de homicídio, devendo também responder pelo crime.

 

Dois presos por tráfico

Durante as buscas ao suspeito de matar o professor Nambla, as polícias Civil e Militar estiveram em duas residências que estavam sendo usadas como ponto de venda de drogas. Foram presos, em flagrante, dois jovens. De acordo com as informações repassadas, os traficantes tinham ligação com o Gilmar. Nas residências foram apreendidas armas, dinheiro e drogas. Os jovens também foram encaminhados para o presídio de Blumenau onde estão à disposição da justiça.

LEIA TAMBÉM



JORNAL METAS - Rua São José, 253, Sala 302, Centro Empresarial Atitude - (47) 3332 1620


JORNAL METAS | GASPAR, BLUMENAU SC

(47) 3332 1620 |