| ASSINE | ANUNCIE
| | | |

Chevrolet retoca S10 na linha 2021

A Chevrolet apresentou a linha 2021 da S10 com novidades. No visual, a picape recebe mudanças apenas na dianteira, alterando o desenho de para-choque, tomada de ar, molduras das luzes de neblina e grade. Esta última, na versão High Country, ganha ainda o nome da marca escrito por extenso na barra superior e a "gravatinha" da marca no canto inferior. Em termos de equipamentos, agora todas as versões saem com seis airbags e central multimídia com tela de sete polegadas e ponto de internet. Nas duas mais caras, o sistema ganha visor de 8", navegador por GPS nativo e integração Apple CarPlay e Android Auto sem fio. Para completar, a Chevrolet afirma ter aplicado um novo turbo no motor 2.8 a diesel, a fim de reduzir o turbo lag e oferecer acelerações mais progressivas.

Fiat confirma dois SUVs, câmbio CVT e motores turbo 

A Fiat confirmou uma ofensiva para o Brasil ao longo dos próximos dois anos. Começando por produtos finais, a marca garantiu que terá dois SUVs, atendendo a um velho pedido de seus lojistas. O primeiro estreia em 2021, sendo provavelmente uma variação do Argo, enquanto o segundo, derivado da Toro (como o conceito Fastback da foto), chega em 2022. Ao longo desse período, a empresa iniciará a oferta da transmissão continuamente variável (CVT) e também dos motores Firefly Turbo, já apresentados na Europa. Por lá, o 1.0 entrega 120 cv, enquanto o 1.3 possui variações de 150 e 180 cv. Para completar, o novo 500, movido a eletricidade, também está confirmado para o Brasil.

Anfavea pede aumento de limite para bônus de PCD 

Modalidade de negócio com números cada vez mais expressivos, as vendas para pessoas com deficiência podem estar com os dias contados. É o que diz a Associação Nacional das Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), que reúne a maioria das montadoras brasileiras. Segundo a entidade, o problema está no limite de R$ 70 mil, imposto em 2009, para concessão de isenções de ICMS e IPI nesse tipo de comércio. Os custos mais altos, a inflação, a alta do dólar e - claro - a pandemia deixaram os veículos mais caros de se produzir, mas não há possibilidade de aumentar o preço público dos carros, pois deixariam de se enquadrar na faixa de bonificação. A Anfavea propõe passar esse limite para R$ 110 mil.


VEJA MAIS DA COLUNA