| ASSINE | ANUNCIE
| | | |
BOAS HISTÓRIAS

Reencontro com o passado

Ex-alunos da professora Herondina decidiram prestar-lhe uma homenagem mais de 50 anos depois


Ex-alunos dos anos 60, da Escola de Braço do Baú, em Ilhota, tiveram um reencontro com a professora primária Herondina Furtado / Foto: Ivan Luchtemberg - Jornal Metas /

O domingo (3) foi de nostalgia e muita emoção para a professora aposentada Herondina Mendes Furtado e seus ex-alunos. Na data, estudantes dos anos 60, que tiveram a ilhotense como primeira professora, se reuniram em Gaspar para um reencontro cheio de recordações e histórias. As boas memórias revividas durante o encontro promovido na Associação da Lince são dos tempos vividos na Escola de Braço do Baú - hoje Escola Municipal Professor Laudelino José de Novaes. Aos 89 anos de idade, a professora Herondina "voltou" aos tempos de sala de aula e recebeu uma homenagem. A placa - um presente dos ex-alunos - foi uma forma de agradecer e reconhecer a mestra por toda dedicação e carinho dados aos estudantes naquela época de escola. "Dona Herondina foi uma professora rígida, mas também uma verdadeira "mãezona" de todos nós, sempre tratando os alunos com muito cuidado e carinho", recorda-se um dos ex-alunos, Osni de Oliveira. Foi ele quem, ao lado do primo Calinho Werner, organizou o evento. "Nosso objetivo foi relembrar e agradecer a professora Herondina por tantos momentos e histórias que vivemos juntos e que ainda hoje são muito importantes para nós", ressalta.

A ideia, conforme conta Osni, surgiu quando ele foi visitar Calinho no hospital. Muitos dos ex-alunos não se viam há anos. "Fomos nos encontrando pelas redes sociais. Tivemos receio de como a ideia seria recebida, mas todos eles ficaram muito empolgados com o reencontro e querem repetir o evento no próximo ano", revela. Além de Gaspar e Ilhota, o encontro reuniu ex-alunos que hoje residem em outras cidades, como Blumenau, Luiz Alves e Joinville. "Passados mais de 50 anos, nos encontramos, alegres para revivermos com a professora as maravilhas que vivemos juntos", comemora Osni.

Uma das ex-alunas que fez questão de estar presente no evento foi Zenilda Schell. Foi com a professora Herondina que a estudante conseguiu aprender, após várias tentativas frustradas, a divisão com "escadinha". "Ela era uma professora muito esforçada, maternal, dedicada, elegante e sensível. Tinha um modo todo especial para ensinar", recorda-se. Já Calinho Werner jamais esqueceu do dia em que a professora o chamou para o quadro-de-giz e, ao chegar em frente à turma, foi recebido com um contagiante "parabéns para você" - já que era o dia de seu aniversário. "A emoção foi muito grande diante da surpresa. Até hoje guardo com muito carinho este e outros momentos vividos. A professora Herondina foi demais", emociona-se.Ao receber o convite para o encontro, Herondina também não conseguiu conter a emoção. Ela participou do evento acompanhada de vários familiares - 17 ao todo. O filho mais novo de sete irmãos, Volnei Márcio Furtado, disse que todos ficaram muito orgulhosos da mãe - e da professora. "Ela ficou muito, muito feliz com a homenagem e reconhecimento dos ex-alunos. Muitos deles ela não via há muitos anos. Foi uma ideia nobre da turma", diz. Diferente dos outros irmãos, Márcio não chegou a ter aulas com a mãe. "Então, o encontro serviu para descobrirmos um pouco mais da "professora". Ficamos muito honrados em saber o quanto ela é querida por todos", diz.

A professora 


Professora Herondina (esq.) recebeu uma placa / Foto: Ivan Luchtemberg - Jornal Metas /

Herondina nasceu no dia 5 de março de 1930, no Braço do Baú, em Ilhota. Filha de Manoel Mendes e Leontina de Souza Mendes, traz no DNA a paixão por lecionar. Duas de suas tias - Judite e Maria - também eram professoras na localidade. Herondina concluiu os estudos em Itajaí, em 1947. Um ano depois, em março de 1948, a professora iniciou os trabalhos no magistério, na Escola de Braço do Baú. Naquela época, as aulas aconteciam em uma antiga casa de madeira, sem nenhuma estrututura. Osni lembra que nem banheiro havia no local - era tudo no "matinho" mesmo. "A água era do ribeirão, havia um balde e uma caneca de esmalte que ficava ao lado da mesa da professora", recorda-se. Além de ensinar, Herondina também buscava melhores condições para seus alunos - ela trabalhou muito pela construção de um novo e amplo prédio para o educandário. Foi na escola do Braço do Baú que Herondina trabalhou durante 26 anos, até se aposentar, em 1974.Foi nessa época também que a professora deixou Ilhota e mudou-se para Gaspar. Em outubro de 1949, a professora casou com José Pereira Furtado, com quem teve sete filhos. Confira mais fotos do evento em nosso site www.jornalmetas.com.br

Imagens


LEIA TAMBÉM



JORNAL METAS - Rua São José, 253, Sala 302, Centro Empresarial Atitude - (47) 3332 1620

| | | |

JORNAL METAS | GASPAR, BLUMENAU SC

(47) 3332 1620 |