| ASSINE | ANUNCIE
| | | |
TRADIÇÃO

Censi: a conhecida família do bairro Barracão

Maria de Lourdes e Otto Censi se estabeleceram no Óleo Grande, em terras adquiridas da família Barbieri


A família Censi é uma das mais conhecidas e tradicionais do Óleo Grande. Ângelo Censi veio da Itália, no final do século XIX. Um dos filhos nascidos no Brasil é Ernesto Censi, pai de Otto Censi, que se casou com Maria de Lourdes Censi. O casal se estabeleceu no Óleo Grande em terras compradas da família Barbieri. Seu Otto instalou em frente à propriedade aquilo que se chamava antigamente de "venda" e se tornou o primeiro comerciante do Óleo Grande. Ao mesmo tempo plantava arroz, fabricava farinha num modesto engenho, criava vaca de leite entre outras atividades.

O casal teve sete filhos: cinco homens e duas mulheres. O quarto deles é Silvio Censi, que herdou parte das terras do pai e hoje mora, com a esposa numa propriedade da Rua Amadio Beduschi, a conhecida Estrada Geral do Óleo Grande, próxima à Capela Santa Catarina de Alexandria. Silvio puxa da memória e relembra de uma época de trabalho duro. O plantio do arroz era manual, com arado puxado por bois. Já a colheita, também manual, se transformava numa grande festa, já que um vizinho ajudava o outro.

Seu Otto vendia um grande volume de mercadorias no fiado. Isto porque, os agricultores só podiam pagar com o dinheiro da venda da colheita. "Ficava tudo anotado na caderneta e o meu pai recebia no final da safra", relembra Silvio, hoje com 63 anos. Seu Otto também negociava com os agricultores boa parte da mandioca plantada nas propriedades vizinhas, para poder dar conta da grande demanda do produto. "Comercializávamos o produto até em Blumenau", revela Silvio. Segundo ele, a família chegava a entregar 35 sacas de farinha num único dia. Silvio e seus irmãos ajudavam no duro trabalho. Já dona Lourdes era uma costureira de "mão cheia" e fez alguns vestidos de noiva.

Silvio seguiu na agricultura até meados os anos 1970, quando então casou com Silvia Laci Censi. Nesta época, a mão de obra do campo estava sendo recrutada para trabalhar na indústria têxtil, e Silvio acabou arrumando emprego no setor de Tecelagem da Cia Hering, em Blumenau, onde trabalhou por 19 anos. Do piso de fábrica passou para o escritório.

Comércio 

Dona Silvia é uma excelente bordadeira, e foi assim que o casal entrou para o ramo do comércio. Depois de deixar a Cia Hering, Silvio, hoje aposentado, e a esposa investiram numa loja no centro comercial FIP, em Brusque, um dos mais conhecidos da região. A loja foi inaugurada há 21 anos, e comercializa marca infantil Kikixodó. Nos últimos tempos as vendas despencaram em função da pandemia que fechou as lojas do centro comercial por trinta dias. Mesmo assim, o casal segue otimista com o futuro. Silvio e Silvia O casal teve dois filhos, Filipe e Vanessa, que já lhe deram três netos.





LEIA TAMBÉM



JORNAL METAS - Rua São José, 253, Sala 302, Centro Empresarial Atitude - (47) 3332 1620

| | | |

JORNAL METAS | GASPAR, BLUMENAU SC

(47) 3332 1620 |