| ASSINE | ANUNCIE
| | | |
Beto.png
COLUNA
Por José Roberto Deschamps | beto@jornalmetas.com.br

Semana decisiva


foto: por Mauricio Vieira


O governador Carlos Moisés vai ter uma semana, a princípio decisiva, pois avistam-se duas votações sobre os pedidos de impeachment que tramitam na Alesc. No primeiro deles, que será votado na sessão ordinária do legislativo de terça-feira (20), refere-se a famosa compra dos respiradores e envolve apenas o governador, já que o processo contra Daniela foi arquivado. Já o outro, que será votado na sexta-feira, dia 23, está mais adiantado - já tem até tribunal misto - e refere-se ao processo que questiona a decisão de equiparar os salários dos procuradores do Estado e da Assembleia Legislativa. Se o tribunal misto decidir pela continuidade do processo de impeachment, o governador e sua vice saem de cena por 180 dias. Se neste período, o tribunal decidir pela cassação, Moisés e Daniela nem voltam mais para o Palácio Santa Catarina. Portanto, se a carroça continua andando no mesmo ritmo, poderemos ter um governador interino já no final da próxima semana. Todavia, nada a comemorar, somente a lamentar tudo o que está acontecendo na esfera política estadual.

Corrupção e cueca

Corrupção não se combate só com discursos e bravatas. O exemplo tá aí. O senador de Roraima, Chico Rodrigues (DEM) foi pego com dinheiro, provavelmente fruto de propina, na cueca. Uma situação vexatória, humilhante e que mostra que a corrupção está impregnada nos poderes constituídos. Há poucos meses, esse mesmo senador teve a cara de pau de ir na tribuna do Senado para disparar contra a corrupção. O senador foi afastado por 90 dias. Vai preparar a sua defesa e provavelmente o processo vai se estender até o fim do mandato, ou seja, o julgamento será mesma nas urnas, o que muitas vezes tem resultado injusto.

Recursos para o hospital

Contrato assinado entre a prefeitura de Gaspar e a empresa gestora do Hospital Nossa Senhora do Perpétuo Socoro vai garantir um repasse de R$ 2,6 milhões para a Casa de Saúde. O contrato vai até abril do próximo ano e destina-se a garantir a manutenção dos dez leitos de UTI credenciados pelo SUS. É uma boa notícia, mas vale lembrar que o hospital ainda vai precisar de recursos para adequar as suas instalações à UTI, já que o espaço atual é provisório. 


Regularização

O Plenário da Câmara aprovou nesta terça-feira (13) o Projeto de Lei Complementar (PLC) 9/2020, que reabre o prazo de apresentação de requerimento para regularização de edificações em Gaspar. Agora, a proposta segue para sanção ou veto do prefeito Kleber Wan-Dall. A redação original do caput do artigo 9º da Lei Complementar (LC) 66, de 2015, previa apenas três anos. A LC 66 trata da regularização de construções em Gaspar. O parecer da relatoria foi favorável à aprovação da matéria.


Sinal verde para o PT

O candidato a prefeito do Partido dos Trabalhadores (PT), Amarildo Rampelotti, teve confirmada a extinção da pena a qual foi condenado em 2015. Desta forma, o candidato volta a ter os seus direitos políticos e poderá, se não houver outros empecilhos, disputar a eleição municipal deste ano. O documento que confirma a extinção da pena foi publicado no começo da noite de quinta-feira (15), no site do TJSC, e assinado pelo juiz Rafael de Araújo Rios Schmitt. Segundo a o juiz, Rampelotti pagou o valor do dia-multa fixado em 1/15 do salário mínimo (R$18.228,57) e prestou 505 horas de serviços à Comunidade. O candidato petista foi condenado, em todas as instâncias jurídicas, por declarações dadas na tribuna da Câmara de Vereadores de Gaspar, na época em que ocupava uma das cadeiras no Legislativo, acerca de reportagem investigativa do Programa Fantástico, da Rede Globo, que tratava sobre adoções de crianças em Santa Catarina e que citou de Gaspar. O então vereador cobrou a apuração dos fatos e foi processado pela juíza Ana Paula da Silveira.


Rigor da lei

Como já foi dito aqui neste espaço, a Justiça Eleitoral tá em cima dos candidatos e não deixa passar nada. Candidato a vice-prefeito da coligação Gaspar Não Pode Parar, Marcelo Brick (PSD), também sentiu o rigor da lei. Ele foi questionado sobre uma prestação de contas da campanha eleitoral anterior, quando concorreu a deputado federal. Valor da pendência: R$ 134,00. Brick foi lá acertou tudo e já voltou para a campanha.


Visita


Na manhã de quinta-feira 15, Dia do Professor, recebi a visita do amigo e candidato a vereador em Gaspar pelo PDT, professor Jader Corrêa, acompanhado do amigo e incentivador de sua campanha eleitoral, Gledson Back. Jader, que é professor há 25 anos e atualmente leciona no Colégio Madre Francisca Lampel, além de também realizar transporte de estudantes, diz que se preparou, se capacitou e está colocando seu nome à disposição da comunidade. A intenção é fazer uma política nova, sem corrupção, com mais transparência e confiabilidade. 



VEJA MAIS DA COLUNA

JORNAL METAS | GASPAR, BLUMENAU SC

(47) 3332 1620 |




JORNAL METAS - Rua São José, 253, Sala 302, Centro Empresarial Atitude - (47) 3332 1620

| | | |