| ASSINE | ANUNCIE
| | | |
TOP_Editorial.png

O dever do voto

Se você não vota, depois não pode reclamar. É igual a pessoa que vai comprar um sapato, não experimenta e depois reclama que aperta no dedão do pé.

Não dá para negar que o eleitor tá de saco cheio de eleição, mas não tem outro jeito, tem que votar, não pode se abster - a menos que exista um motivo que não a raiva pelos políticos. O voto é um direito cidadão e não custa nada, tá cada vez mais simples e seguro votar. A tecnologia tem facilitado as coisas. Mas, aí tem uma pandemia no meio, desemprego, economia em recessão, aumento de preços, e vem a decepção com o sistema. Mesmo assim, o correto é votar, pois a mudança começa pelo voto. Ninguém muda nada apenas com discurso de mesa de bar.

O voto é uma decisão coletiva, onde escolhe-se o candidato com a melhor proposta. A eleição municipal é que mais aproxima do eleitor da classe político. O prefeito e o vereador resolvem problemas da sua cidade, do seu bairro e da sua rua. Por isso, a eleição torna-se ainda mais importante. Neste 15 de novembro, com muita segurança sanitário, vá até a sua seção eleitoral e escolhe os seus candidatos com muita responsabilidade, com consciência e a certeza de que você está fazendo a sua parte para melhorar a vida de todos.


OUTROS ARTIGOS E EDITORIAIS