| ASSINE | ANUNCIE
| | | |
AVANÇA GASPAR

Gaspar: uma das 500 cidades mais desenvolvidas do Brasil

É a décima quinta economia do Estado de Santa Catarina e a terceira entre os municípios do Médio Vale do Itajaí


É a segunda cidade mais populosa do Médio Vale do Itajaí, com cerca de 66 mil habitantes e projeção de 69 mil habitantes para 2019 (Fonte: IBGE). É também reconhecida pela sua localização estratégica próxima a portos, aeroportos e rodovias estaduais e federais, o que facilita o escoamento da produção. Na comparação entre 2004 e 2014, o PIB per capta de Gaspar cresceu 172,34%, passando de R$ 13.762,00 para R$ 37.480,00, enquanto a média nacional é de R$ 28, 876,00. (Fonte: Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal).

Esforços vêm sendo empreendidos para colocar Gaspar em maior evidência no cenário nacional e atrair investimentos de fora.

As transformações na infraestrutura da cidade, executadas pela administração, por meio do programa "Avança Gaspar" e outras ações, são visíveis. A Prefeitura tem procurado estimular e fomentar o crescimento com um trabalho planejado e coordenado por iniciativas como a do Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico Local (COMDEL). Dessa forma, a indústria, comércio, agricultura e o setor de bens e serviços se expandem de maneira sustentável.

COMDEL


O COMDEL tem a finalidade de praticar a gestão participativa entre poder executivo e entidades locais de forma organizada e formalizada. Do Comdel fazem parte diversas entidades, empresas e instituições, entre elas a Associação Empresarial de Gaspar (ACIG). O projeto abrange: Educação empreendedora, Desenvolvimento Econômico, Segurança, Turismo e Inovação, com o foco de tornar o município uma referência nacional como polo turístico, com desenvolvimento econômico diversificado e sustentável, reconhecida pela população como uma cidade humanizada de alta qualidade de vida.

A FORÇA DO SETOR TÊXTIL

Santa Catarina é o segundo maior Polo Têxtil Nacional:

? 162 mil empregos diretos

? Produção de 440 mil toneladas por ano

Que corresponde a 20% de tudo o que é produzido no país.

Neste cenário favorável, o setor têxtil de Gaspar é destaque: 28,61% das empresas cadastradas na prefeitura executam essa atividade industrial. No último levantamento haviam 870 empresas de confecção, 484 facções e 85 tinturarias, fiações, tecelagem instaladas no município. O setor têxtil emprega mais de 8 mil pessoas ou 37,65% de toda a mão de obra disponível. E mais: Gaspar tem comprovada vocação para o setor de MODA INFANTIL. De acordo com dados da Prefeitura: 60% das empresas têxteis sediadas em Gaspar tem a MODA INFANTIL como produto final.

TÍTULO MERECIDO

A vocação para o setor de MODA INFANTIL despertou na administração e na classe empresarial, por meio do Núcleo Têxtil da Associação Empresarial de Gaspar (Acig), a ideia de buscar uma identidade junto ao mercado. Esse foi o ponto de partida para o Projeto de Lei, que tramita no Congresso Nacional, com a proposta de conceder a Gaspar o merecido título de

CAPITAL NACIONAL DA MODA INFANTIL. O PL foi protocolado no dia 7 de agosto e aguarda despacho na Mesa Diretora da Câmara dos Deputados para, na sequência, tramitar nas Comissões Permanentes da Casa. Se tiver caráter terminativo, será encaminhado ao Senado sem necessidade de passar pelo Plenário da Câmara. A previsão é que a votação possa ser concluída em 2020.

A FORÇA DO SETOR TÊXTIL

Santa Catarina é o segundo maior Polo Têxtil Nacional:

? 162 mil empregos diretos

? Produção de 440 mil toneladas por ano

Que corresponde a 20% de tudo o que é produzido no país

Neste cenário favorável, o setor têxtil de Gaspar é destaque: 28,61% das empresas cadastradas na prefeitura executam essa atividade industrial. No último levantamento haviam 870 empresas de confecção, 484 facções e 85 tinturarias, fiações, tecelagem instaladas no município. O setor têxtil emprega mais de 8 mil pessoas ou 37,65% de toda a mão de obra disponível. E mais: Gaspar tem comprovada vocação para o setor de MODA INFANTIL. De acordo com dados da Prefeitura: 60% das empresas têxteis sediadas em Gaspar tem a MODA INFANTIL como produto final.

TÍTULO MERECIDO

A vocação para o setor de MODA INFANTIL despertou na administração e na classe empresarial, por meio do Núcleo Têxtil da Associação Empresarial de Gaspar (Acig), a ideia de buscar uma identidade junto ao mercado. Esse foi o ponto de partida para o Projeto de Lei, que tramita no Congresso Nacional, com a proposta de conceder a Gaspar o merecido título de CAPITAL NACIONAL DA MODA INFANTIL. O PL foi protocolado no dia 7 de agosto e aguarda despacho na Mesa Diretora da Câmara dos Deputados para, na sequência, tramitar nas Comissões Permanentes da Casa. Se tiver caráter terminativo, será encaminhado ao Senado sem necessidade de passar pelo Plenário da Câmara. A previsão é que a votação possa ser concluída em 2020.

AS VANTAGENS

"A conquista do título de CAPITAL NACIONAL DA MODA INFANTIL vai gerar fundamental visibilidade e abrir um leque de oportunidades nesse nicho de mercado e de outros que vão também ser beneficiados com esse reconhecimento".


"CAPITAL NACIONAL DA MODA INFANTIL nós já somos, afinal, os produtos têxteis de Gaspar estão por todo o  território nacional, do Oiapoque ao Chuí. O que vai  acontecer agora é a oficialização desse título. O Núcleo  Têxtil da Acig tem a missão de envolver e motivar os empresários do setor para a busca desse objetivo. No dia 5 de setembro, vamos apresentar o "Qualifica  Gaspar", que é um projeto que vai preparar a base para as oportunidades que vão surgir a partir da referência  de CAPITAL NACIONAL DA MODA INFANTIL. Não basta  termos apenas o título, vamos precisar qualificar ainda mais a nossa mão de obra, firmar novas parcerias,  como por exemplo, com o Instituto Federal de Santa Catarina e o Senai para cursos de aperfeiçoamento e,  num futuro não muito distante, implantarmos uma  agência de prospecção e fomento de novos  empreendimentos para o setor, obviamente que será  preciso a parceria público-privado, pois é preciso  acabarmos com essa ideia de que tudo deve partir dos  governos. O poder público cria a infraestrutura, mas é o  empresário que vai fomentar o seu negócio para que esse título possa de fato valer a pena. Gaspar é uma ilha de prosperidade".

Douglas Junkes - coordenador do Núcleo Têxtil da Associação Empresarial de Gaspar


"Quando falamos sobre conquistar o título, há dois pontos que precisam ser ressaltados. O primeiro deles é entender que buscar o título é a formalização de um negócio que nós já somos. Gaspar já tem uma firme condição para dizer que é a Capital da Moda Infantil pelos números apresentados. Então, vejo que buscar o título é uma consequência até política e legal disso. O segundo passo é perceber que junto com o título vai vir muito trabalho para a cidade, um trabalho que já estamos desenvolvendo paralelamente com a busca desse título, que é o projeto "Pró Gaspar", voltado para a profissionalização do setor. Profissionalização não só dos empresários, mas dos profissionais das oficinas de costura, que são as conhecidas facções. Desde a qualificação da mão de obra quanto de gestão. As portas que vão se abrir para Gaspar são muitas, uma delas é a geração de emprego porque, tendo o título, obviamente teremos investidores de olho no município, fomentando a economia da cidade. O título também será importante para fortalecermos o turismo de compra em Gaspar".

Nelson Bornhausen - presidente da Associação Empresarial de Gaspar


"O título de CAPITAL NACIONAL DA MODA INFANTIL vai beneficiar todos os setores em Gaspar, inclusive motivando os empresários a investirem nos seus negócios. Gaspar precisa deixar de ser uma cidade apenas de passagem, as pessoas precisam vir para cá e comprar no nosso comércio. Para isso, precisamos aprimorar nossos produtos, comercializá-los a preços competitivos, produzi-los com sustentabilidade e distribui-los com mais rapidez. O setor da moda infantil tem a vantagem de sempre passar a margem das crises econômicas, pois os produtos infantis têm alto giro, porque a roupa precisa ser comprada com mais frequência em função do crescimento das crianças. Temos que pensar também no e-commerce não como uma ameaça ao setor, mas como um aliado comercialização dos produtos em multiplataformas. Enfim, o empresário precisa se preparar para a revolução da indústria 4.0 que vem por aí".

Marli Nicoletti do Nascimento - Sócia-proprietária da Serelepe


"Somos referência no Brasil em produtos têxteis, só precisamos dar mais dinamismo ao setor. O título de CAPITAL NACIONAL DA MODA INFANTIL é um momento que toda a cadeia produtiva precisa abraçar. O problema principal ainda é a falta de mão de obra, pois hoje muitas empresas do setor executam trabalhos, como costura, em outros municípios justamente porque nos falta o profissional especializado. O poder público está trabalhando para reverter esse quadro, juntamente com o IFSC e o Senai que podem abrir mais cursos para a qualificação da mão de obra. Além disso, há muito informalidade no setor por conta da própria legislação trabalhista. Estamos orientando os pequenos empresários, aqueles que trabalham em casa, a aderirem ao MEI (Microempreendedor Individual), pois isso é uma garantia para o futuro".

Celso de Oliveira - Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Renda e Turismo


"É difícil medir o quanto se ganha com o turismo, mas é, sem dúvida, um grande negócio na medida em que atinge vários segmentos. A cadeia do turismo, sem dúvida, ganha muito com a identificação de Gaspar como CAPITAL NACIONAL DA MODA INFANTIL. Agora, é preciso entender esse movimento como uma rota da moda em que será preciso, por exemplo, ter pontos de venda com boa infraestrutura, talvez um centro comercial de moda infantil. Assim, todos os setores serão beneficiados com a referência. O turista virá para Gaspar comprar roupas, mas também poderá se hospedar, se alimentar, abastecer seu carro, comprar produtos coloniais, visitar pontos turísticos e se divertir nos parques aquáticos. A ideia é que ele permaneça mais tempo na cidade consumindo, para isso precisamos criar os equipamentos turísticos. Estamos elaborando o Plano Municipal de Turismo, que vai identificar potenciais atrativos. O roteiro da moda infantil também será discutido pelo Conselho Municipal de Turismo, que já tem um representante do setor. Vamos estabelecer prioridades e realizar o estudo de potencialidades e viabilidades de todos os nossos atrativos turísticos".

Norberto Mette - Diretor Municipal de Turismo


"O campus de Gaspar do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) é integrante do Núcleo Têxtil da Acig. Estamos desenvolvendo todas as nossas ações em parceria, entre elas o "Qualifica Gaspar", voltado à reciclagem e qualificação da mão de obra do setor do vestuário. Hoje, temos cursos superiores de Design em Moda e outros técnicos, como de Modelagem e Vestuário. Há, ainda, a oferta das oficinas, que são cursos básicos, como por exemplo, de modelagem e costura que permitem entrar mais rápido no mercado de trabalho. O Qualifica Gaspar vai aprimorar mais essa mão de obra, porém, não basta atuar apenas no setor do vestuário. É preciso ir além, para valorizar o selo exclusivo de CAPITAL NACIONAL DA MODA INFANTIL. Precisamos gerar conhecimento no setor, por meio da qualificação tanto do empregado quanto do empregador. Por outro lado, a informalidade do setor preocupa. Precisamos trabalhar mais em cima do registro e cuidar mais desses locais onde estão instaladas as facções, muitos vezes no fundo de residências sem muito espaço, o que atrapalha o processo produtivo. Acredito que muita da rejeição dos jovens ao emprego no setor têxtil se deve justamente à informalidade. O título de CAPITAL NACIONAL DA MODA INFANTIL precisa fazer sentido, e isso vamos conseguir por meio de uma melhor orientação, fomentando a qualificação, cumprindo requisitos e se comprometendo com a qualidade do trabalho. Vamos reunir outras ações, como feiras ou eventos de moda, ou seja, criar um círculo virtuoso. É claro que o título tem uma questão de marketing muito forte, mas a grande vantagem é tudo o que vamos evoluir a partir da melhoria da cadeia produtiva".

Ana Paula da Silveira - diretora do IFSC - Campus Gaspar.


"Com um título reconhecido nacionalmente acreditamos que nos tornaremos referência para nossos clientes, pois todos falam sobre a região e não especificamente de Gaspar. Lembram que estamos próximos a Blumenau, Brusque e Jaraguá do Sul, mas não dão importância para o fato de que também produzimos para a região. O título de CAPITAL NACIONAL DA MODA INFANTIL vai dar mais visibilidade a nível de Brasil e credibilidade ao município. Todavia, precisamos de mais organização e união entre as empresas, além do apoio do poder público, somente assim Gaspar se tornará um polo atrativo para investidores de shoppings atacadistas e varejistas. O problema de mão de obra qualificada não se aplica somente a Gaspar. Aqui temos bastante mão de obra, mas não o suficiente para toda a produção local. E para solucionar o problema somente capacitando os colaboradores e principalmente os gestores das empresas do setor, pois vejo que muitos não estão preparados para gerenciar um pequeno negócio".


Francisco Theiss, o Kiko, sócio-proprietário da Kiko e Kika Confecções


"Com certeza esse título vai trazer muitos benefícios para a nossa cidade, como uma maior credibilidade e visibilidade no mercado. O comércio de Gaspar já atende tranquilamente o setor do vestuário adulto e infantil, com muitas lojas, mas o título de CAPITAL NACIONAL DA MODA INFANTIL vai fortalecer ainda mais o setor, podendo agregar novos empreendimentos como um centro comercial. Evidente que a cidade vai precisar de adequar a esse nova realidade, com alguns ajustes, e isso já está sendo feito junto ao Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico".

Luiz Hamilton Krauss - presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL).



JORNAL METAS - Rua São José, 253, Sala 302, Centro Empresarial Atitude - (47) 3332 1620

| | | |

JORNAL METAS | GASPAR, BLUMENAU SC

(47) 3332 1620 |