| ASSINE | ANUNCIE
| | | |
NÚMEROS

Trânsito mata mais de 30 mil pessoas por ano no Brasil

Em Santa Catarina, somente nos primeiros nove meses deste ano, os acidentes nas rodovias federais e estaduais já mataram 390 pessoas


Foto: Arquivo Jornal Metas/

Por ano, mais de 1 milhão de pessoas perdem a vida em acidentes de trânsito no mundo. Somente no Brasil, foram cerca de 34 mil mortes nas estradas do país durante o ano de 2019. E os especialistas no assunto são unânimes em afirmar que a maioria dos acidentes ainda é causada por falha humana. Para tentar reduzir os números e fazer com que motoristas, ciclistas e pedestres mudem de atitude é promovida anualmente - entre os dias 18 e 25 de setembro - a Semana Nacional de Trânsito (SNT). Apesar da iniciativa ter sido instituída em 1997, ainda há muito o que se fazer. "Ainda persistem o desrespeito às normas gerais de circulação e conduta e a falta de respeito à sinalização, a si próprio e aos demais usuários", alerta o consultor especialista em trânsito, Emerson Andrade, que por mais de 30 anos atuou como patrulheiro rodoviário estadual em Santa Catarina.

Este comportamento, segundo ele, contribui para as tragédias que acontecem diariamente nas estradas do Brasil e do mundo. "Quando atendemos a um acidente, ao fazer o levantamento do local, percebe-se que ele ocorreu devido a uma infração, descuido, negligência, imperícia ou imprudência - ou seja - a falha humana rouba a cena", diz. Para Andrade, tais atitudes não estão somente relacionadas à falta de conhecimento, mas principalmente em colocar efetivamente em prática aquilo que se sabe. "Às vezes me questiono se os condutores, ciclistas e pedestres sabem o que estão fazendo. O que parece é que muitos deles vivem em uma bolha, acreditando que os acidentes só acontecem com os outros", desabafa.

Por isso, o especialista chama a atenção para o tema da SNT deste ano: "Perceba o risco, proteja a vida". Ele explica que a intenção é justamente alertar cada "ator" envolvido no trânsito quanto a sua responsabilidade para torná-lo mais seguro. "É preciso entender que falar ao celular enquanto dirige é um risco, dirigir sem atenção é um risco, dirigir sem usar o cinto de segurança é um risco, fazer uso de bebida alcoólica ou drogas antes de dirigir é um risco, ultrapassagens indevidas são um risco... as pessoas se arriscam demais no trânsito", ressalta. Andrade aponta outras fatores que contribuem para os acidentes, como as péssimas condições das vias, obras que se arrastam há muito tempo, falta de sinalização e de manutenção. "Tudo isso também contribui para as ocorrências, mas o principal fator é o humano", destaca.

Somente neste ano (até dia 20 de setembro), foram registrados nas estradas estaduais de Santa Catarina 3.887 acidentes que resultaram em 134 mortes. A maioria dos acidentes, segundo o capitão Tiago Teixeira Ghilardi, chefe da Comunicação Social da Polícia Militar Rodoviária Estadual de SC, foi provocada por falta de atenção do condutor, excesso de velocidade, embriaguez e ultrapassagens em locais proibidos. "O trânsito possui três pilares: a engenharia, a fiscalização e a educação do condutor. Todos devem estar alinhados e em constante aprimoramento. Hoje, a ação do condutor tem prevalecido como a causa dos acidentes mais graves. Por isso, ações para conscientizar as pessoas sobre a importância e os perigos que o trânsito pode trazer para o convívio social são essenciais", defende.

Já nas estradas federais, foram registrados entre janeiro e setembro (até dia 17), 4.952 acidentes e 256 mortes. As causas que prevaleceram foram as mesmas das verificadas nas SCs. Em Gaspar, foram 333 acidentes entre janeiro e agosto deste ano.


"Quando atendemos um acidente de trânsito, ao fazer o levantamento do local, percebe-se que ele ocorreu devido a uma infração, um descuido, negligência, imperícia ou imprudência - ou seja - a falha humana rouba a cena" 

Emerson Andrade, Consultor especialista em trânsito 


Década 

A realização da SNT deste ano coincide com o fim da primeira Década de Ações pelo Trânsito Seguro (2011-2020), proposta pela Organização das Nações Unidas (ONU), na qual os governos dos diferentes países se comprometeram a tomar medidas para prevenir os acidentes e reduzir o número de mortes no trânsito.

No Brasil, para atingir as metas propostas pela ONU, foi criado em 2010 o Projeto Vida no Trânsito (PVN). O plano estabeleceu como meta reduzir em 50% a incidência de óbitos por acidentes de trânsito até 2020. Dados do último levantamento publicado pelo Ministério da Saúde referentes ao ano de 2018 indicam que cinco capitais já conseguiram alcançar a meta global.

O presidente da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet), Antônio Meira Júnior, defende que um grande avanço nesta década foi a ampla divulgação do tema na mídia e, consequentemente, entre a população. "Anualmente promovemos a campanha do Maio Amarelo, cujo objetivo é justamente chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito", lembra.

Agora, a atenção dos países se voltam para a segunda década (2021-2030), que continua a defender a redução de 50% de lesões e mortes no trânsito em todo o mundo. "A grande maioria das mortes e ferimentos graves no trânsito são evitáveis e que, apesar de algumas melhorias em muitos países, incluindo em países em desenvolvimento, o acidentes permanecem um grande problema de saúde pública e desenvolvimento, que tem amplas consequências sociais e econômicas", destaca a publicação da ONU.

Meira Júnior defende a continuidade da ação. "Nos últimos anos passamos por uma importante desaceleração no número de acidentes no País. Mas ainda há um longo caminho a percorrer. A segunda década é fundamental para que mais ações sejam feitas e mais vidas sejam salvas", destaca. 


Dados de 2020:


-> Rodovias federais (até 17/09):

Foram registrados 4.952 acidentes e 256 mortes

-> Rodovias estaduais (até 20/09):

Foram registrados 3.887 acidentes e 134 mortes

-> Em Gaspar (até agosto): Foram registrados pelo Corpo de Bombeiros 333 acidentes. Nenhum autoridade municipal soube informar o número de mortos. 


Você sabia?

O trânsito brasileiro MATA UMA PESSOA a cada 15 MINUTOS  e a cada DOIS MINUTOS UM ser humano sofre FERIMENTOS nesta guerra viária.  

O Brasil está na QUARTA posição entre os países com MAIS MORTES em acidentes de trânsito no mundo, ficando atrás apenas da China, Índia  

e Nigéria. Em 2018, o índice brasileiro atingiu a marca de 23,4 MORTES por 100 mil habitantes. 

Foram cerca de 34 MIL MORTES mortes em 2019 e um GASTO de R$ 50 bilhões com os custos dos ACIDENTES DE TRÂNSITO, entre gastos com saúde, indenizações e previdência. 

Fonte: Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV) / Organização Mundial da Saúde (OMS)


LEIA TAMBÉM

JORNAL METAS | GASPAR, BLUMENAU SC

(47) 3332 1620 |




JORNAL METAS - Rua São José, 253, Sala 302, Centro Empresarial Atitude - (47) 3332 1620

| | | |