| ASSINE | ANUNCIE

POLÊMICA

Sem ônibus, alunos desistem de estudar no IFSC

14 Abril 2017 15:41:00

Enquando direção tenta uma solução, as empresas alegam não poder oferecer mais horários

Dimas Freitas - jornalismo1@jornalmetas.com.br
IMG_4124.JPG
Foto: Dimas Freitas/Jornal Metas
Campus do Bela Vista atendem 1900 alunos de toda a região do Vale do Itajaí

Com a oferta de ensino de qualidade de forma gratuita, o IFSC está se fortalecendo como uma das principais instituições de ensino no Vale do Itajaí. Com cursos de ensino médio, técnico e superior, o campus de Gaspar, no bairro Bela Vista, atende jovens e adultos de toda a região do Vale. Mas, apesar de todos esses benefícios, muitos alunos estão desistindo por um motivo simples e que não tem relação com a sala de aula: a falta de horários de ônibus.

A diretora-geral da instituição, Professora Ana Paula Silveira, conta que o problema se agravou quando Blumenau rescindiu o contrato de transporte coletivo com o consórcio Siga. Desde então, os ônibus da cidade vizinha foram proibidos de circularem em Gaspar, gerando muito transtorno, insegurança e descontentamente entre os estudantes do IFSC. “Temos alunos de toda a região, porém, Gaspar, Blumenau e Ilhota, respectivamente, são os municípios mais atendidos pela nossa instituição. A grande maioria dos alunos depende dos coletivos. Antes eles embarcavam em frente ao IFSC, mas desde o fim do consórcio Siga os estudantes estão tendo que fazer um grande trajeto a pé, correndo riscos principalmente à noite”, explica a diretora.

Mesmo os estudantes de Gaspar, que são atendidos pela empresa Caturani, sofrem com o baixo número de veículos e horários. “São poucos os horários disponíveis, e você paga um valor caro pela de passagem. Além disso, os ônibus estão literalmente caindo aos pedaços. Se você perde o ônibus, tem  que esperar uma hora para o próximo”, desavaba a estudante Esther Caldeira. 

A principal reivindicação dos alunos do IFSC é para que a empresa Caturani coloque mais horários e se faça uma mudança na rota dos coletivos intermunicipais. Os horários mais críticos são no começo das aulas (7h20min) e na saída (22h30min). “Pela manhã, os alunos de Gaspar contam com apenas um horário de ônibus, que quase sempre chega superlotado no ponto. O problema se repete em Blumenau e Ilhota com o agravante que os veículos param longe do IFSC e os estudantes precisam terminar o trajeto a pé”, reforça a diretora.

Ela disse já ter entrado em contato com as empresas de transporte coletivo e repassado a demanda dos alunos, mas nada mudou até agora. As empresas alegam falta de mão de obra e de veículos. A  Caturani respondeu que não consegue colocar mais ônibus na linha do IFSC. A mesma resposta foi dada pela Rodovel, que é a única empresa intermunicipal a ter um ponto de embarque em frente ao Instituto. Já a Verde Vale disse à reportagem que aguarda a liberação do Deter para alterar a rota e ativar um ponto de embarque em frente ao IFSC. “Estamos longe do ideal, porém qualquer melhoria neste momento será benéfica aos nossos estudantes”, argumenta Ana Paula. 

A estudante Bruna Luiza Budag mora em Blumenau e quatro vezes por semana precisa encarar o trânsito caótico para conseguir chegar até o IFSC. Ela trabalha em horário comercial e muitas vezes perde as primeiras aulas. “Saio do serviço no mesmo horário que o ônibus passa no ponto. Se não consigo pegar neste horário, tenho que esperar uma hora até o próximo ônibus. Na saída é ainda pior, pois tenho que escolher entre sair uma hora antes do fim da aula ou caminhar no escuro e sem calçada para conseguir pegar um ônibus que vá para Blumenau. Tenho amigas que já desistiram do curso por não conseguir chegar a tempo para as aulas. Deve haver mais estudantes pensando em  desistir caso não haja uma mudança no transporte”, opina.  

Indefinição
O problema do transporte coletivo no bairro Bela Vista é antigo e uma solução definitiva só será possível com a participação do poder público dos dois municípios. A direção do Instituto procurou o Seterb, orgão que cuida do transporte coletivo em Blumenau, solicitando que a linha que atende Gaspar vá até o IFSC, e não somente até a divisa entre os municípios, porém, segundo o órgão isso somente será possível depois que a empresa hoje responsável pelo serviço assuma em definitivo (o transporte coletivo em Blumenau está em caráter emergencial). 
Até lá, os alunos irão continuar enfrentando ônibus lotados e sucateados para continuar estudando no IFSC.

LEIA TAMBÉM

JORNAL METAS | GASPAR, BLUMENAU SC

(47) 3332 1620 |




JORNAL METAS - Rua São José, 253, Sala 302, Centro Empresarial Atitude - (47) 3332 1620