| ASSINE | ANUNCIE
| | | |
PANDEMIA

Situação se agrava e Prefeitura volta apelar à população

Ao mesmo tempo, órgãos de fiscalização vão apertar o cerco contra aglomerações já a partir deste fim de semana

Alexandre Melo


Em live, prefeito e equipe revelaram preocupação com o crescimento no número de casos


Diante do agravamento da pandemia no Vale do Itajaí, desde segunda-feira (15) reclassificado para "gravissímo" no Mapa de Risco da Secretaria de Estado da Saúde, Gaspar vai apertar a fiscalização já a partir deste fim de semana. A informação foi passada durante live, realizada no começo da tarde de sexta-feira (19), com a presença do prefeito, Kleber Wan-Dall; do vice-prefeito, Marcelo de Souza Brick; da secretária da Saúde, Silvania Zanoello, do técnico em enfermagem, Arnaldo. Munhoz; e da Superintendente da Defesa Civil no município, Ana Janaína. Medeiros.

Em sua fala, o prefeito afirmou que as projeções indicam que essa terceira onda será ainda pior que as anteriores. Revelou, ainda, que as pessoas estão chegando bem mais debilitadas ao Centro de Triagem para COVID-19, instalado junto ao Ginásio João dos Santos, e ao Hospital de Gaspar. "Isto evidentemente demanda muito mais trabalho para todo o nosso time da saúde", observou. Wan-Dall argumentou que as medidas que estão sendo adotadas visam reduzir a circlação de pessoas e as aglomerações, a fim de se evitar um colapso no sistema de saúde do município."Se você tem uma festinha que não é tão necessárioa é o momento de se resguardar e ficar com a família. Não queremos que ocorra em Gaspar, o que vem ocorrendo em várias cidades do País e no oeste do nosso Estado",, apelou Wan-Dall.

O prefeito prometeu voltar a conversar com os donos de restaurantes, padarias, bares, lanchonetes, mercados, academias de ginástica e outros estabelecimentos da cidade para pedir o cuidado redobrado com relação aos protocolos de segurança. Neste sábado, Wan-Dall terá uma videoconferência com lideranças religiosas, para também pedir atenção para o número de frequentadores dos cultos e missas e, na segunda-feira (22), será a vez dos empresários. "A gente não vence sozinho essa pandemia, não adianta esperar pelo médico, hospital, pelo Centro de Triagem, por um remédio milagroso ou pela vacina, sozinho não conseguimos vencer essa pandemia, precisamos do entendimento de toda a população", acentuou o prefeito.

Sobre os bailes que estão ocorrendo em várias sociedades de Gaspar, o prefeito disse que já orientou a Defesa Civil a entrar em contato com os promotores destes eventos, para que sejam mantidas as regras definidas em protocolo pelo Governo do Estado. Outro ponto destacado por Wan-Dall foi com relação às pessoas contaminadas que não estariam mantendo o isolamento. "É muito importante que elas permaneçam afastadas, para não contaminarem outras pessoas". O prefeito garantiu a manutenção das aulas dentro do protocolo estabelecido, ou seja, uma semana presencial e outra online.

O prefeito disse que as doses da vacina ainda são poucas para imunizar a população. "Foram aplicadas apenas 880 doses, somos mais de 70 mil habitantes". A prefeitura voltou a estender o horário de atendimento do Centro de Triagem no final de semana, que voltará para o horário das 8 às 17h.

A secretária de Saúde, Silvania Zanoello, pediu a compreensão da população, pois muitos profissionais da saúde estão sendo remanejados por causa da pandemia, e muitas vezes a pessoa vai à unidade de saúde e não encontra o médico. "Ele não está lá porque precisou vir ajudar no Centro de Triiagem, por isso eu peço a paciência da comunidade porque são situações de emergência e urgência e não dá tempo de avisar."

Números preocupam

O técnico em enfermagem e responsável pelo Centro de Triagem para COVID-19, Arnaldo Munhoz, trouxe números preocupantes. Segundo ele, há 14 dias eram 71 casos ativos em Gaspar, hoje são 251 (aumento de 44%). Já os novos casos, revelou Munhoz, eram 16 há duas semanas, hoje saltou para 37, ou seja, um aumento de mais de 120%. "Não estamos falando em cima de suposições, mas de números, o que mostra que estamos na subida de uma terceira onda", acrescentou. Munhoz lembrou ainda que para que essa onda não se estenda só depende das pessoas. "Não queremos Gaspar transformada em mais uma cidade com o sistema de saúde colapsado", advertiu. O enfermeiro também pediu que as pessoas não esperem muitos dias depois de sentirem os primeiros sintomas da doença. "Não esperem três, quatro ou cinco dias com uma dor de cabeça, neste momento é preciso pecar pelo excesso". Arnaldo explicou que uma pessoa contaminada em um ambiente onde não existe o distanciamento, vai contamir, no mínimo, outras três. Hoje, segundo ele, Gaspar registra 325 casos ativos de COVID-19. "Se cada uma dessas pessoas não cumprir o seu isolamento serão três vezes mais contaminados num único dia". Munhoz lembrou ainda que a Prefeitura possui vários canais de comunicação com a população para informar a todos sobre a pandemia.

A superintendente da Defesa Civil, Ana Medeiros, disse que a Prefeitura vai iniciar uma fiscalização, a fim de coibir aglomerações. Para isso, contará com o apoio das polícias Civil e Militar. Ela lembrou que existem canais onde as pessoas podem fazer denúncias. 99930-3252 (Defesa Civil) ou, ainda, da PM, no 190.

Imagens


LEIA TAMBÉM