| ASSINE | ANUNCIE
| | | |
ELEIÇÃO

Gaspar elege novos Conselheiros Tutelares

Embora facultativo, a escolha dos conselheiros tutelares é um direito constitucional e exercício de cidadania


Votação ocorre das 8h às 17h e o eleitor gasparense poderá votar em cinco dos sete candidatos / Foto: Divulgação/

Neste domingo (6), acontece em toda Santa Catarina a eleição para escolher os novos conselheiros tutelares, que assumirão os cargos em janeiro do ano que vem, para o mandato 2020/2024. Mais de 1.500 pessoas serão escolhidas para atuar nos Conselhos Tutelares nos 295 municípios catarinenses. Em Gaspar, sete candidatos concorrem a cinco vagas. Conforme explica o secretário de Assistência Social de Gaspar, Santiago Martin Navia, além dos cinco titulares, serão eleitos dois suplentes.

Estão na disputa Josiane Cristina dos Passos Zuchi, Mari Inez Testoni Theiss, Maria Marlise Rita, André Luis da Conceição, Márcio Sansão, Mayndra Tonet e Vanessa Fabiane Scheidt, sendo que os quatro últimos concorrem à reeleição. Para se candidatar à vaga, os candidatos precisavam estar residindo no município há pelo menos dois anos, ter 18 anos ou mais, ensino superior completo e Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e não possuir antecedentes criminais. "Além disso, os candidatos passam por uma capacitação e são submetidos a uma prova de conhecimento específico. O objetivo é fazer com que eles entendam o que irão fazer", explica Santiago. Apesar do voto ser facultativo, o secretário ressalta a importância da comunidade participar do processo eleitoral. "É uma questão de cidadania, pela importância que o Conselho Tutelar tem para as políticas públicas em defesa da criança e do adolescente. Se uma criança ou adolescente tem algum direito violado ou impedido de acesso a algum destes direitos, como educação, saúde, moradia, ou exposto a alguma violência é o Conselho Tutelar que age e exige dos órgãos públicos as medidas necessárias para mudar a situação", argumenta. O secretário afirma que o trabalho dos conselheiros é árduo e complexo. "Imagina você entrar em uma residência e ver o caos, situações muito complicadas. O Conselho Tutelar recebe denúncias diariamente", revela. Somente entre janeiro e julho deste ano, o órgão gasparense recebeu 390 denúncias - a maioria delas relacionada à falta de vagas na educação infantil e evasão escolar entre os adolescentes. "Um fato que tem nos chamado a atenção são as denúncias de mutilação entre o público feminino, que está crescendo", alerta Santiago.

Pode participar da votação todo eleitor que esteja com a situação eleitoral regularizada até 8 de julho deste ano. A votação acontece das 8h às 17h, em cinco locais do município (veja box). Para votar é preciso apresentar o título de eleitor e um documento com foto, sendo que será permitido votar em até cinco candidatos por vez. O local de votação foi redistribuído de acordo com o local onde o eleitor normalmente vota. Confira no quadro abaixo.

O Conselho

O Conselho Tutelar foi criado em 1990, pelo Estatuto da Criança e Adolescente (ECA), e tem a tarefa de garantir os direitos da população até a faixa etária dos 17 anos. A atuação do órgão ocorre diante de uma situação de ameaça ou violação dos direitos com o objetivo de proteger a criança ou adolescente que está em situação de vulnerabilidade. Também é papel do conselheiro atender e aconselhar os pais ou responsáveis pelos menores.

Os casos chegam ao Conselho Tutelar por delegacias, Estratégias Saúde da Família (ESFs) ou até mesmo por escolas. Isso acontece quando há abandono ou violência por parte de familiares. Algumas famílias também buscam o órgão por iniciativa própria, em busca de seus direitos, com demandas em educação, saúde ou até conflitos como disputa de guarda dos filhos.

"Os conselheiros, eleitos de forma democrática, têm a função de fazer os atendimentos iniciais, reconhecer o problema e, posteriormente, encaminhar a situação para a rede de atendimento do município", explica a secretária de Estado do Desenvolvimento Social, Maria Elisa de Caro. Segundo a secretária, o Conselho Tutelar é um órgão permanente e autônomo e cada município tem, no mínimo, um conselho formado por cinco membros, escolhidos pela comunidade para um mandato de quatro anos. Em Gaspar, o Conselho Tutelar está ligado administrativamente à secretaria de Assistência Social.

Quem pode votar:

- O voto é facultativo e os eleitores considerados aptos a votar são aqueles que estavam com a situação eleitoral regularizada até 8 de julho deste ano.  

- Para votar é preciso apresentar o título de eleitor e um documento com foto.  

- Cada eleitor vota em até cinco candidatos e uma única vez cada 

Locais de votação

- O eleitor que vota normalmente no Centro Comunitário Nossa Senhora Aparecida, Escola Mário Pederneiras, Escola Professor Vitório Anacleto Cardoso, Escola Norma Mônica Sabel e Comunidade Santa Clara deve votar na Escola Professor Vitório Anacleto Cardoso. 

- O eleitor que vota normalmente no Círculo Trentino di Gasparin, Escola Professora Ana Lira, Escola Professor Honório Miranda, Escola Ivo D'Aquino, Escola Professor Rudolfo Günther, Escola Professor Olimpio Moretto, Escola Ferandino Dagnoni, Escola Ervino Venturi, Escola Zenaide Schmitt Costa e Escola Frei Godofredo deve votar na Escola Honório Miranda.

- O eleitor que vota normalmente na Escola Marina Vieira Leal, Escola Luiz Franzói e Escola Augusto Schramm deve votar na Escola Luiz Franzói. 

- O eleitor que vota normalmente na Escola Frei Policarpo e Escola Belchior deve votar na Escola Belchior.

- O eleitor que vota normalmente no Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) e Escola Professora Dolores Krauss deve votar no IFSC. 


Os candidatos

André Luis da Conceição

Número: 101

Tem 33 anos, é formado em Psicologia, foi coordenador do Sine e desde 2016 atua como conselheiro tutelar.

"Decidi me candidatar à reeleição por acreditar em um futuro melhor e, zelando pelo direitos de nossas crianças e adolescentes, podemos prevenir muitos traumas e consequências futuras. Caso reeleito, pretendo estreitar os laços com Centros de Desenvolvimento Infantil (CDIs) e escolas e contribuir com cada setor público que atende crianças e adolescentes.


Josiane Cristina dos Passos Zuchi 

Número: 114

Tem 39 anos, é bacharel em Direito, e atua como Assessora Jurídica.

"Desde a época da faculdade me identifiquei com o direito da infância e adolescência e com a abertura das inscrições para o Conselho Tutelar vi uma oportunidade de poder fazer algo pelas crianças e adolescentes que tem os seus direitos violados. Se eleita, trabalharei com seriedade zelando pelos direitos previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). 


Márcio Sansão

Número: 108

Tem 40 anos, é bacharel em Administração e possui licenciatura em Matemática. Atualmente é conselheiro tutelar.

"Me candidatei à reeleição para que eu possa continuar o trabalho que estou desenvolvendo. Se eleito novamente, irie me dedicar exclusivamente à função de conselheiro tutelar para poder defender os direitos das crianças e adolescentes gasparenses, sempre que estes direitos forem ameaçados ou violados".



Mari Inez Testoni Theiss

Número: 112 

Tem 50 anos, é pós- graduada em Educação Física, e atualmente integra a equipe administrativa da Escola Zenaide Schmitt Costa. Atuou como professora durante 25 anos e durante oito anos esteve à frente da Defesa Civil municipal.

"Decidi me candidatar porque acho que o Conselho Tutelar deve melhorar em alguns aspectos e, com minha experiência de 25 anos com crianças e adolescentes e os 8 anos na Defesa Civil, me sinto preparada para fazer um bom trabalho".



Maria Marlise Rita

Número: 115

Tem 54 anos, é formada em Processos Gerenciais, empresária.

  "Me candidatei à vaga pois observei a necessidade de levar informações para a comunidade do que realmente é obrigação do Conselho Tutelar. Acredito que a comunidade tem uma visão distorcida do que o órgão faz. Meu objetivo é levar informações para a comunidade em geral, estar mais próxima das escolas e Centros de Desenvolvimento Infantil (CDIs)".


Mayndra Tonet

Número: 106

Tem 25 anos, é formada em Direito, cursando pós- graduação em Direito de Família e das Sucessões. É conselheira tutelar.

"Estou no Conselho Tutelar desde 2018 e me apaixono a cada dia mais por essa profissão tão importante para a sociedade. Hoje, completando um ano como conselheira tutelar, consigo perceber como mudei e como minha visão sobre a vida mudou. Meu objetivo é continuar zelando pelo cumprimento dos direitos de nossas crianças e adolescentes".


Vanessa Fabiane Scheidt

Número: 102

 Tem 37 anos, é formada em Serviço Social (assistência Social), e atua como conselheira tutelar desde 2018. 

"Me candidatei para a vaga para continuar zelando e fazer cumprir os direitos das crianças e dos adolescentes em minha cidade. Meu objetivo é continuar com esse trabalho, com garantia de proteção do direito das crianças e adolescentes."


ILHOTA

Em Ilhota, seis candidatos estão concorrendo às vagas. A votação também acontece das 8h às 17h.

Candidatos 

Ana Paula Adão

Número: 850

Eduardo Santos

Número: 830

Jheniffer Santos

Número: 840

Michaela Miglioli

Número: 870

Viviane Cardoso Pereira

Número: 860

Nelciaria da Silva Sousa

Número: 820

Locais de votação

Margem Direita

Escola de Educação Básica Marcos Konder - Centro

Escola Domingos José Machado - bairro Ilhotinha

Margem Esquerda

Escola Estadual Valério Gomes - bairro Pedra de Amolar

Salão Paroquial Nossa Senhora da Gloria - Braço do Baú





 

                    


LEIA TAMBÉM

JORNAL METAS | GASPAR, BLUMENAU SC

(47) 3332 1620 |




JORNAL METAS - Rua São José, 253, Sala 302, Centro Empresarial Atitude - (47) 3332 1620

| | | |