| ASSINE | ANUNCIE
| | | |
CELEBRIDADES

Homenagem a dois ícones da JM Run

As histórias de Maria Ângela Koerich e Laércio Jacob Moritz, que todos os anos prestigiam a corrida do Jornal Metas

Alexandre Melo


Laércio (3º esq p/dir) se emocionou ao receber a homenagem do Jornal Metas/IVAN LUCHTEMBERG/JORNALMETAS


A família de dona Maria veio prestigiar a homenagem que lhe foi prestada / FOTO IVAN LUCHTEMBERG-JORNAL METAS

A JM Run 2020 teve um momento muito especial. O reconhecimento a dois verdadeiros símbolos das sete edições da corrida do Jornal Metas. Os troféus entregues no feminino foram todos nomeados Maria Ângela Koerich, a mais idosa corredora da prova. O outro é o advogado Laércio Jacob Moritz, 70 anos, que escolheu a JM Run para voltar às corridas de rua depois de quatro meses em tratamento por causa de um câncer. Os dois foram pegos de surpresa pela homenagem, e foi então que compreenderam o motivo de seus familiares estarem presentes no evento.

Maria Ângela Koerich é um símbolo de superação, de determinação e exemplo para quem ainda não tomou a coragem de começar a praticar exercícios físicos, ou seja, correr. Ela faz ginástica uma vez por semana, yoga nas terças-feiras e atividades físicas variadas nas quintas-feiras. Nos outros dias, dá uma corridinha para "soltar as pernas". Haja fôlego para uma rotina destas, não?! E vocês imaginam que essa rotina é de uma pessoa jovem. Pois não é.Ela está se aproximando dos 80 anos, mas quem disse que a idade tem algum peso na vida dela. Ela éuma jovem senhora. Acostumou-se a praticar atividades físicas depois dos 40 anos e foi por um problema de saúde. Aos 45 anos, dona Maria, como é chamada carinhosamente pelos outros corredores, descobriu uma úlcera no estômago. A recomendação foi operar, mas ela decidiu que iria começar a correr ao invés de ir pra mesa de cirurgia. Ela procurou um cardiologista e naquela época, em vez do teste de esteira, se fazia teste na bicicleta ergométrica. O médico disse que ela estava bem e a liberou para correr. Depois de alguns anos, a úlcera simplesmente desapareceu. Um ano depois, em 1987, Maria Angela completou a sua primeira Maratona - uma prova de 42Kms. Foi a 1ª Maratona de Blumenau - Oktoberfest e ela conseguiu o segundo lugar na categoria.

Na época, Maria Angela morava em Gaspar e treinava sozinha, pelas ruas de Gaspar, mas de vez em quando ficava dando voltas em torno do campo do Tupi. Foram tantas provas que Angela perdeu a conta.Ela afirma que a JM Run a faz lembrar da sua infância, porque era justamente nesta estrada que ela passava com o pai, que trazia cavalos da serra para vender em Gaspar. Angela o acompanhava em cima de uma "aranha", que é um tipo de transporte antigo puxado por um cavalo.Enquanto ela corre na JM Run, vai lembrando de tudo o que viveu na infância".

Nascido em Blumenau, Laércio Jacob Moritz adotou Gaspar como a cidade para construir a sua vida profissional. É bem verdade que veio pra cá por causa do grande amor da sua vida, com quem está casado há praticamente 50 anos. Dona Denise é aqui de Gaspar e colocou como condição para o casamento morarem em Gaspar. Eles tiveram dois filhos, Soraia e Evandro, que lhes deram cinco netos. Um deles, Emanoel,e o genro, Evandro,o acompanharam na JM Run do último domingo. Laércio tem muitas corridas no currículo. A São Silvestre, por exemplo,foram muitas,a primeira em 1997. Mais jovem, praticava basquete, mas quando descobriu a corrida nunca mais quis saber de outro esporte. Em meados do anos 70, formou-se advogado especialista em Direito do Trabalho. No ano passado, seu Laércio precisou dar uma parada nas corridas pra cuidar da saúde, e escolheu a JM Run para retomar a rotina de corridas. Enquanto esteve afastado, em tratamento médico, os amigos de corrida não o esqueceram. Raul Cardozo, por exemplo, fazia questão de correr e trazer uma medalha para o amigo Laércio. Dona Denise sempre o incentivou."Todo o esporte é salutar. É uma motivação pra vida. E foi graças à prática rotineira de esportes, que Laércio conseguiu se recuperar rapidamente e já está novamente correndo. Dona Denise não sabe exatamente o que o marido mais ama, se é correr ou a advocacia, mas que de uma coisa ela tem certeza: "ele é uma pessoa muito dedica às duas atividades". E dona Denise disse que muitas vezes, diante da condição financeira de alguns dos seus clientes, já que Laércio é advogado dos trabalhadores, ele simplesmente pede como pagamento uma oração."Sabes rezar,então reza por mim". Dona Denise diz acreditar que todas essas orações, que foram lá para o céu ajudaram na recuperação do marido.

Essas duas belas histórias, que é também a de muitos outros corredores aqui presentes, o Jornal Metas decidiu instituir na edição deste ano, quando também completa 20 anos. "Uma justa homenagem a estes dois verdadeiros ícones das corridas de rua aqui na nossa região", destacou o diretor do Jornal Metas, José Roberto Deschamps.


Cardozo (2º da esq p/dir) homenageou o Jornal Metas pelos 20 anos / FOTO IVAN LUCHTEMBERG/JORNAL METAS

Homenagem da Corblu

O conhecido corredor de rua, Raul Cardozo, presidente da Associação dos Corredores de Rua de Blumenau (Corblu) também prestou uma homenagem entregando placas para os dois destaques em nome da entidade que preside. A Corblu também homenageou o Jornal Metas pelos seus 20 anos de circulação.


LEIA TAMBÉM



JORNAL METAS - Rua São José, 253, Sala 302, Centro Empresarial Atitude - (47) 3332 1620

| | | |

JORNAL METAS | GASPAR, BLUMENAU SC

(47) 3332 1620 |