| ASSINE | ANUNCIE
| | | |
EXEMPLO

A maior de todas as provas

Kalinka fez da atividade física o seu principal combustível na luta contra o câncer


Além do grupo de corrida, Kalinka frequenta a academia / Foto: Alexandre Melo - Jornal Metas /


Desde sua primeira edição, em 2014, a JM Run - corrida de rua promovida em Gaspar pelo Jornal Metas - reúne centenas de corredores que buscam, a cada prova, superar seus limites. Seja no percurso de 5Km, 10Km ou 21Km, muitos são os exemplos de superação e determinação. Histórias como o da corredora blumenauense Kalinka de Souza, de 42 anos. Sua performance será vista por todos na prova que acontece no próximo dia 15 de março, no Alto Gasparinho, mas a luta de Kalinka durante os dois últimos anos será contada nas próximas linhas. 

A corredora, "viciada" em atividades físicas, foi diganosticada, em agosto de 2017, com câncer de mama. A notícia pegou Kalinka de surpresa, já que a professora de Língua Portuguesa sempre foi adepta dos exercícios e da boa alimentação. "Nunca imaginei que eu teria câncer. Quando recebi o diagnóstico, pensei: o que eu vou fazer agora?", emociona-se. Mas a corredora decidiu seguir o conselho de sua médica. 'Ela olhou para mim e disse que a doença não era um castigo. Que eu deveria encarar o câncer como um desafio e aprender com ele", relembra. Foi exatamente o que Kalinka fez. Ela iniciou o tratamento e, mesmo sendo submetida a sessões de quimioterapia, não deixou de praticar atividades físicas. "Eu falei para a médica que não abriria mão de duas coisas: treinar e trabalhar. E assim foi", relembra. Ela continuou o treinamento funcional na academia Box e também os treinos de corrida - diminuindo apenas a distância percorrida. Kalinka só deu uma pausa nos exercícios após a cirurgia para a retirada da mama esquerda, realizada em abril de 2018.

E a corredora acredita que por ser ativa desde jovem foi o que a ajudou a passar com menos sofrimento pelo tratamento. "Como eu tinha um corpo saudável, o efeito da medicação não foi tão devastador. Mesmo dando aula durante o tratamento, nunca fiquei doente, nunca peguei uma gripe", garante. O esporte, segundo Kalinka, também foi importante no fator psicológico. Ela começou a frequentar a Box Funcional e fazer parte do grupo de corrida em 2017, pouco tempo antes de descobrir a doença. "As pessoas da academia foram as que mais me deram força durante este período. Me recordo de estar inscrita em uma prova e, no dia anterior à corrida, fiz uma sessão de quimioterapia. Não me senti bem e decidi não participar, mas as pessoas que correram fizeram uma homenagem para mim. Nesse momento eu percebi o quanto o esporte poderia ser um importante aliado na minha recuperação".

Hoje, a professora, corredora e mãe - Kalinka tem dois filhos: um jovem de 21 anos e uma jovem de 18 - diz se sentir muito bem. Nas terças, quintas-feiras e sábados ele faz o treinamento funcional e nas segundas, quartas e domingos ela corre entre 5Km e 10Km por treino. "Eu não sinto nada, é como se eu não tivesse tido a doença", comemora. Tanto é que Kalinka se prepara para correr uma Meia Maratona e já voltou a subir ao pódio. Meta que ela tem para a 7ª JM Run. "Eu vi a divulgação da prova no Instagram e já tinha ouvido falar muito bem dessa corrida. Então decidi participar. Vou fazer os 10Km e pretendo completar o percurso em menos de 50 minutos", revela. Ela afirma que a corrida é um momento muito especial para ela. "É o meu momento de oração. É quando eu converso com o universo e com o criador. É quando paro para agradecer por tudo", emociona-se.

Super Poderosas  

Mas não foi somente no esporte que Kalinka encontrou forças para seguir em frente. Ela também faz parte do grupo Super Poderosas, formado por mulheres do Vale do Itajaí e região, que foram diagnosticadas com câncer, criado para que elas possam compartilhar suas experiências e se apoiar. A corredora foi também um dos rostos da segunda edição da exposição "A beleza além do Câncer", lançada pelo grupo em outubro do ano passado, em Gaspar. "Fui convidada a participar do grupo e hoje vejo como ele é importante para fazer você acreditar e ter esperanças", finaliza a corredora. 


Kalinka em "ação" / Foto: Arquivo Pessoal/


Macarronada e chope são novidades na prova

Falta pouco mais de um mês para a JM Run 2020 e já são mais de 600 corredores inscritos na prova. Diferente das edições anteriores, neste ano a corrida será realizada em março e não no segundo semestre do ano, como de costume. A mudança da data tem um motivo mais do que especial: comemorar os 20 anos de fundação do Jornal Metas. A corrida está marcada para o dia 15 de março e irá oferecer aos corredores as distâncias de 5Km, 10Km e 21Km (todas individuais), além da caminhada e a prova Kids. Além disso, muito mais do que exercitar-se, os atletas e todos os gasparenses estão convidados a se divertirem em uma grande festa de aniversário. Conforme explica o diretor do Jornal Metas, José Roberto Deschamps, o Beto, várias atrações estão sendo programadas para o evento. "Completar duas décadas de atividades é algo muito importante. Por isso queremos comemorar a data próximo da comunidade", ressalta.

Haverá música, brinquedos para as crianças, bolo comemorativo e a grande novidade: uma macarronada, que será servida na capela Santo Antônio, a partir das 11h30min. O cartão para o almoço custa R$20,00 e deve ser adquirido antecipadamente, com a equipe do Jornal Metas e na Bertiola Lanchonete, no Centro de Gaspar, responsável em preparar o almoço. No local também haverá venda de chope, da marca Barracuda, e caldo-de-cana, do Pinoco`s. "É importante ressaltar que o convite para a macarronada é para o público em geral e não apenas para os corredores. Queremos reunir as pessoas para uma grande comemoração", convida o diretor.

Assim como nas outras edições, a largada da prova será na Capela Santo Antônio, no bairro Alto Gasparinho, passando pelo interior do Fazzenda Park Hotel (provas de 10Km e 21Km) - um cenário aconchegante e em meio à natureza. Em todos os três percursos, serão entregues troféus até o quinto colocado no geral (masculino e feminino) e até o terceiro lugar nas categorias (masculino e feminino). Todos os atletas que cruzarem a linha de chegada serão agraciados com uma medalha de participação. Durante os percursos, haverá pontos de hidratação (água) e, na chegada, os atletas serão recepcionados com uma mesa de frutas. Todo corredor inscrito ganhará um quit contendo um chip, numeral de peito e camiseta, além de brindes, como um chope. As inscrições podem ser feitas pela internet, nos sites do Foco Radical (www.focoradical.com.br) e Vem Correr (www.vemcorrer.com). Mais informações pelo (47) 99657 9160 - whatsapp. 

LEIA TAMBÉM



JORNAL METAS - Rua São José, 253, Sala 302, Centro Empresarial Atitude - (47) 3332 1620

| | | |

JORNAL METAS | GASPAR, BLUMENAU SC

(47) 3332 1620 |