| ASSINE | ANUNCIE
| | | |
POLÍTICA

Os fatos que marcaram 2018

Vários fatos marcaram o ano de 2018, mas certamente o principal deles foram as eleições gerais. O ciclo de vitórias do PT desde 2002 foi quebrado com a eleição, no segundo turno, de Jair Messias Bolsonaro para presidente do Brasil. A onda "Bolsonaro" também chegou à Santa Catarina, que elegeu o comandante Moisés (PSL) para o governo do Estado - a grande surpresa destas eleições. Outro fato de destaque foi a greve dos caminhoneiros que, no fim do mês de maio, literalmente parou o Brasil. O movimento, que tinha como principal reivindicação a redução nos preços dos combustíveis, ganhou a adesão da sociedade. Apesar dos transtornos e dos muitos prejuízos, grande parte da população apoiou o movimento. Em Gaspar, tivemos a entrega de obras que se arrastavam há tempo, como a pavimentação das ruas Pedro Schmitt Junior e Artur Poffo mas, outras ainda seguem paradas ou caminhando a passos muito lentos, como a rua Madre Paulina e Escola Olímpio Moretto. Mesmo assim, a prefeitura anunciou um "pacotão"de novas obras: o "Avança Gaspar", e começou a implantar, no fim deste ano, o Plano de Circulação Viária, com algumas mudanças no trânsito. E não foi somente a infraestrutura do município contemplada durante 2018. A prefeitura deu um importante passo para preservar as raízes da cidade e deu início à implantação do Arquivo Histórico. 2018 também foi um ano de muitas despedidas. Gaspar perdeu o maestro João Bohn e também o dentista Cláudio Beduschi que, por mais de 60 anos, atuou na cidade. Um acidente aéreo com um avião de pequeno porte em Manaus tirou a vida do empresário Osni dos Santos, o Paxá.   

Bolsonaro eleito presidente


O fato político mais importante de 2018 foi, sem dúvida, as eleições gerais. Com quase 58 milhões de votos (55,13%), o capitão da reserva e deputado federal-RJ, Jair Messias Bolsonaro (PSL), foi eleito o 38º presidente do Brasil. Ele venceu, no segundo turno, o candidato do PT, Fernando Haddad (PT), interrompendo o ciclo de vitórias do partido desde 2002. Bolsonaro transformou o PSL num fenômeno eleitoral, formando a maior bancada na Câmara Federal, com 52 deputados.


Moisés leva em SC


A "onda" Bolsonaro também chegou à Santa Catarina. Depois de uma eleição disputada voto a voto no primeiro turno, o bombeiro militar da reserva, Carlos Moisés da Silva, foi eleito o governador do estado. Ele venceu a disputa, em segundo turno, com uma expressiva votação: foram 71,09% dos votos válidos, contra 28,91% de seu adversário, Gelson Merísio (PSD). O comandante Moisés, como é conhecido, foi a grande surpresa destas eleições no país. Até março deste ano, ele não estava filiado a nenhum partido político e, nas pesquisas eleitorais, nunca figurou entre os três primeiros. Entretanto, impuslionado pela onda Bolsonaro, Moisés foi para o segundo turno como favorito, o que se confirmou no dia 28 de outubro, logo após abertura das urnas em Santa Catarina.


A perda de Aldo


No dia 19 de agosto, faleceu em Balneário Camboriú o presidente da Assembleia Legislativa de Santa Catarina, deputado Aldo Schneider (MDB). O parlamentar não conseguiu vencer a luta contra um câncer e morreu aos 57 anos de idade, sendo 30 deles dedicados à vida pública. 

Não deu

Mais uma vez, Gaspar ficou sem representantes na Assembleia Legislativa e Câmara Federal. O candidato a deputado estadual pelo município, o ex-prefeito Pedro Celso Zuchi, conquistou apenas 12.140 votos, não conseguindo se eleger. Marcelo Brick, que concorria a deputado federal, também ficou de fora: fez apenas 12.513 votos.    

Senadores

Na eleição para senadores, a disputa foi acirradíssima em Santa Catarina. O candidato Esperidião Amin (PP) fez 18,77% dos votos válidos e, o segundo colocado, Jorginho Mello (PR), obteve 18,07%. No ano que vem, eles se juntarão na bancada ao senador catarinense Dário Berger (MDB), que ainda tem mais quatro anos de mandato a cumprir. 

150 milhões em empréstimos

No início de dezembro, a prefeitura de Gaspar foi autorizada a financiar até R$ 40 milhões junto ao Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE). O sinal verde foi dado pela Câmara de Vereadores, que aprovou o projeto de lei 93/2018, que tratava do pedido de empréstimo. Com mas essa aprovação, a prefeitura conseguiu a autorização do legislativo para contrair empréstimos que chegam a R$ 150 milhões, para investimentos em obras de infraestrutura no município. No final de setembro deste ano, depois de muita polêmica, a Câmara já havia dado o aval para o financiamento de R$ 60 milhões junto à Caixa Econômica Federal, por meio do programa Finisa. O valores vão custear o programa "Avança Gaspar", que vai executar obras de mobilidade, infraestrutura, desenvolvimento sustentável, vida saudável, educação e gestão pública.


Samae ganha autorização


Sem antes causar muita polêmica, a Câmara de Vereadores aprovou, em novembro, o projeto de lei que devolveu ao Samae permissão para realizar obras de drenagem pluvial. Essa prerrogativa já havia sido data à autarquia (na época Samusa) pelo então prefeito Adilson Schmitt, mas acabou revogada, em 2009, já no governo Celso Zuchi, quando foi criado o Samae. Agora, o Samae pode novamente executar serviços de limpeza de valas, drenagem pluvial, entre outros que eram de exclusividade da Secretaria de Obras. A primeira obra anunciada com recursos da autarquia, e que já está em andamento, é a da rua Frei Solano, no bairro Gasparinho.

Vaza áudio do prefeito

Em agosto deste ano, o prefeito de Gaspar, Kleber Wan-Dall, se envolveu em uma polêmica após enviar, via aplicativo whatsapp, um áudio pedindo para que seus subordinados se empenhassem na divulgação positiva da proposta que criava o Prêmio Assiduidade, em substituição ao Auxílio Alimentação. A iniciativa do prefeito revoltou o Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Gaspar (Sintraspug) que chegou a pedir à Câmara de Vereadores que abrisse uma sindicância para apurar um possível crime de assédio moral. O pedido foi rejeitado pelos vereadores, já que o caso já havia sido levado pelo sindicato à justiça. Na época, as gravações foram enviadas a um grupo (Gaspar Eficiente) de servidores comissionados (assessores, diretores e secrtários) mas acabaram vazando e passaram a circular nas redes sociais.


Mudanças aprovadas



As modificações propostas no Plano Diretor da cidade começaram a valer no dia 24 de outubro. As mudanças ocorreram após 12 anos da criação do plano, em 2006. As modificações alteraram dispositivos como Parcelamento do Solo, Zoneamento e Mobilidade Urbana, está última levando em consideração o projeto do Anel de Contorno Viário Urbano, oficializando assim a maior obra de mobilidade já planejada para Gaspar.

Benefício no cartão

Após os servidores públicos rejeitarem a criação do Prêmio Assiduidade, a prefeitura de Gaspar decidiu mudar definitivamente a forma de pagamento do vale alimentação. Em novembro, o benefício passou a ser creditado em um cartão e não mais incorporado à folha de pagamento. A medida, de acordo com a prefeitura, irá representar uma economia anual de cerca de R$ 2 milhões em encargos tributários e previdenciários (cerca de R$ 90,00 por servidor) que eram pagos pela administração. O valor do benefício, entretanto, foi mantido: R$430,00 que, segundo a prefeitura, é um dos mais altos pagos em toda a região. O Sintraspug, sindicato da categoria acusou, além de perda salarial, prejuízo com INSS, para fins de aposentadoria. 





JORNAL METAS - Rua São José, 253, Sala 302, Centro Empresarial Atitude - (47) 3332 1620

| | | |

JORNAL METAS | GASPAR, BLUMENAU SC

(47) 3332 1620 |