| ASSINE | ANUNCIE
| | | |
galo.png
COLUNA
Por Alexandre Melo | jornalismo3@jornalmetas.com.br

Quem manda no nosso futebol

23 Outubro 2018 20:13:05

Uma vergonha! Essa é a expressão que melhor define o que aconteceu na noite de segunda-feira, no último jogo da rodada do Campeonato Brasileiro, entre Internacional x Santos. Durante sete minutos, seis árbitros ficaram à espera da imagem da televisão para decidir se o gol do Internacional havia sido legal ou não. Só que a TV Globo, detentora das imagens exclusivas da competição, decidiu que não iria mostrar o replay do lance antes da decisão do juiz. É assim que o futebol brasileiro hoje é comandado, ou seja, de fora para dentro da CBF. Pasmem! É um veículo de comunicação que dá as cartas. A TV Globo, que já mudou até a fórmula da competição, continua a mudar datas e horários dos jogos para adequar à sua programação, que chega ao absurdo de marcar uma partida de futebol para às 20h de segunda-feira, agora também decide quando deve ou não interferir em lance polêmico. No domingo, a emissora decidiu mostrar novamente o lance em que o jogador do Ceará tocou com a mão na bola. O árbitro, que estava em dúvida, acabou acertando ao marcar o pênalti a favor do Palmeiras, líder do campeonato, mas não teria marcado se não tivesse o replay. Ou seja, é um peso e duas medidas. Para que seis árbitros em campo, se eles dependem das imagens externas da "toda-poderosa?" Na minha opinião, o gol do Internacional foi legal. No mínimo, houve uma dividida de bola, portanto, nenhum dos jogadores deu a direção desejada para a bola. Mas, sem a imagem da TV, o juiz decidiu não dar gol porque na dúvida em um lance de área marca-se sempre a favor da defesa (isso é praxe entre os árbitros). Esse episódio só desnuda uma dura realidade: o futebol brasileiro tem dono e chama-se "poder econômico". Tá mais do que na hora da CBF tomar as rédeas do seu negócio que chega a faturar 500 milhões de reais por campeonato da Série A. Com esse faturamento, acho que daria para organizar um campeonato sem depender do interesse de terceiros.

Gaspar quer os Jasti

Gaspar tenta novamente ser a sede dos Jogos da Terceira Idade (Jasti) em 2019. Em 2018, a cidade acabou preterida. Nesta semana, técnicos da Fesporte realizam vistorias nas sete cidades que se candidataram à sede. Criciúma foi a primeira, depois Laguna na terça-feira. Nesta quarta-feira (24) é a vez de Brusque, na quinta-feira Jaraguá do Sul e na sexta-feira, dia 26, será a vez de Gaspar. Na próxima semana, a comissão ainda irá a Camboriú e Concórdia. Vejam que são municípios com tradição no esporte catarinense. Acho que está ainda mais difícil que no ano passado. 

Covardia na LDG

Invasão de campo de dirigentes, reservas e comissão técnica. Agressão ao árbitro e outras coisas mais no jogo Flórida x Unidos do Braço do Baú pelo Campeonato da Liga Desportiva Gasparense (LDG) no último domingo. A LDG vai se posicionar de maneira enérgica sobre o episódio, pois o juiz do jogo está bastante machucado devido às agressões covardes sofridas e vai abrir processo contra os agressores. Uma vergonha. Colocaram em risco a vida de uma pessoa por causa de um jogo de futebol. Gente desse tipo só tem uma palavra pra se definir: animais. A decisão da Liga sai na quinta-feira, eu já adianto a minha opínião: banir o clube ou os clubes que provocaram a briga. Não tem outra decisão. 



LEIA TAMBÉM

JORNAL METAS | GASPAR, BLUMENAU SC

(47) 3332 1620 |




JORNAL METAS - Rua São José, 253, Sala 302, Centro Empresarial Atitude - (47) 3332 1620

| | | |