| ASSINE | ANUNCIE
| | | |
galo.png
COLUNA
Por Alexandre Melo | jornalismo3@jornalmetas.com.br

A mamata vai acabar!

08 Janeiro 2019 18:31:00

Na segunda-feira (7), durante a posse dos presidentes dos bancos estatais, o ministro da Fazenda, Paulo Guedes, deixou claro que vai, no mínimo, rever os contratos de patrocínio da Caixa Econômica Federal com os times de futebol. Em 2018. a instituição patrocinou 14 clubes brasileiros, injetando mais de R$ 150 milhões do nosso dinheiro. Além disso, conforme o blog do jornalista Marcel Rizzo, a Caixa patrocinou campeonatos estaduais do Piauí, Paraíba, Mato Grosso e até de Rondônia. Os valores, ainda segundo o jornalista, variaram entre R$ 200 mil e R$ 500 mil. Se realmente houver cortes nos investimentos da Caixa em marketing esportivo, a coisa vai ficar "preta" para alguns clubes que dependem muito dessa verba, como Flamengo, Cruzeiro, Atlético-MG, Atlético-PR e Bahia, todos da Série A. Somente o Flamengo recebeu R$ 25 milhões da Caixa em 2018, valor inferior ao de 2017. Dois times catarinenses tem contrato de patrocínio com a instituição, o Criciúma, que vai ficar mais um ano na Série B, e o Avaí que conseguiu o seu retorno à Divisão Especial.

Caixa preta

O governo já avisou que vai abrir a caixa preta de todos os contratos firmados em administrações anteriores, mostrando a realidade da distribuição de verbas até o ano passado. Essas medidas de "caça às bruxas", embora o presidente Bolsonaro diga que não é, pretende criar uma imagem do atual governo totalmente desvinculada do passado, onde contratos inescrupulosos de patrocínio eram feitos e havia sempre alguém pronto para levar algum ($) por fora.   

O velho novo discurso

O discurso é velho, mas pode ser que desta vez saia do papel. O novo presidente da Fesporte, professor e faixa preta de jiu-jitsu, Rui Godinho da Mota, assumiu dizendo que um dos diferenciais de sua administração será fazer com que a Fesporte fomente o esporte como instrumento de inclusão social. "Vamos firmar parcerias com entidades que já promovam ações esportivas de forma filantrópica", afirmou. Godinho destacou também que fará ações para trazer crianças e adolescentes sem oportunidades a conhecerem e a praticar algum esporte na sede da Fesporte. Vale lembrar que o primeiro grande evento organizado pela nova gestão da Fesporte será os Jogos Abertos da Terceira Idade (Jasti), que acontecem, pela primeira vez, em Gaspar de 19 a 24 de maio.  

Novas regras

Os lamentáveis incidentes da final da Copa Libertadores da América de 2018 entre River Plate e Boca Juniors, serviu para tirar os dirigentes da Conmebol do ostracismo. Novas regras restritivas a ingressos de pessoas portando objetos nos estádios durante a edição deste ano foram criadas. Uma delas é o uso de bandeirões dentro dos estádios, que até o ano passado era permitido. As faixas presas a cercas divisórias também passa a ser vetado. E a coisa vai ficar ainda mais restritiva a partir de 2021, quando a Conmebol vai exigir a venda de ingressos online em todos os jogos e assentos numerados nos estádios.



LEIA TAMBÉM

JORNAL METAS | GASPAR, BLUMENAU SC

(47) 3332 1620 |




JORNAL METAS - Rua São José, 253, Sala 302, Centro Empresarial Atitude - (47) 3332 1620

| | | |