| ASSINE | ANUNCIE
| | | |

simone_colunista_300.jpg
COLUNA
Simone Makki / jornal@jornalmetas.com.br
Leia todos os artigos desta coluna

Saiba como se prevenir dos golpes

Os golpes contra os consumidores não param, considerando os dias atuais com a utilização cada vez mais freqüente dos aplicativos. Por telefone, whatsApp e mídias sociais, os criminosos criam armadilhas cada vez mais engenhosas para atrair vítimas. Conheça alguns dos golpes mais comuns contra os consumidores.

Mensagem no WhatsApp

Este golpe se populariza por usar diversas marcas e acontecimentos como isca. Seja prometendo uma renda extra ou bônus em lanchonetes ou lojas de cosméticos, as mensagens induzem os usuários a clicarem num link malicioso e espalhar para a lista de contato. O simples fato de você clicar no link já pode dar uma brecha para alguém que queira invadir o seu dispositivo ou conseguir suas informações e esteja aplicando golpes no WhatsApp. Se receber alguma mensagem desse tipo, verifique quem mandou a mensagem. Se for de uma aparente empresa, pesquise para saber se a tal mensagem é comum ou se é golpe conhecido. Portanto:

Evite clicar em links

Nunca passe informações pessoais

Sempre contate a empresa, para certificar-se

Não responda desconhecidos

Não dê atenção acorrentes

Verifique sempre o Remetente da mensagem

IMPORTANTE: 

Quando receber ofertas e promoções de jantares com descontos especiais de restaurantes renomados, pelas redes sociais principalmente, o consumidor deve ter cautela e contatar o estabelecimento, pois os golpistas solicitam o seu numero de WhatsApp acessando todos os seus contatos para aplicar golpes.

Não importa a situação,aplicativo ou plataforma, você sempre deverá verificar quem enviou a mensagem ou arquivo. Sendo essa uma das formas mais simples e rápidas de evitar os golpes.

Aposentadoria ou reajuste atrasado

O criminoso finge ser funcionário do INSS e diz conseguir aposentadoria para a vítima. Em outro caso, o golpista se passa por representante de algum sindicato e age na saída de bancos, dizendo que a pessoa tem direito a receber reajustes atrasados. Em ambos os golpes, o criminoso pede documentos e, para cobrir as despesas, um depósito antecipado, geralmente, 10% do valor que a vítima vai receber

Recadastramento bancário

A vítima recebe ligação de alguém que se passa por representante do banco. O correntista é induzido a fazer um recadastramento digitando os números da agência, da conta, da senha. Por equipamentos capazes de identificar os sinais sonoros dos números, a quadrilha tem acesso à conta

Falso motoboy

O cidadão recebe um telefonema supostamente do banco ou da operadora de cartão informando que seu cartão foi clonado e que deve informar dados pessoais para cancelar as compras irregulares. A pessoa é induzida a informar sua senha e entregar o cartão cortado a um motoboy que será enviado à sua casa. Os criminosos tem acesso ao cartão cortado, porém, com o chip intacto, o que possibilita fazer saques em dinheiro e compras em lojas físicas e virtuais

Assinatura de TV a cabo e Internet

O criminoso se passa por vendedor dos serviços e, por telefone, oferece assinatura gratuita. No suposto cadastro, pede dados pessoais para confirmar informações e convence a pessoa a transmitir esses dados, que são usados, posteriormente, para obter empréstimos ou fazer compras.

Vendedor de colchão

Golpista foca em idosos que moram sozinhos e se passa por vendedor de colchões. Como o item é caro, oferece empréstimo para a compra e pede os números dos documentos. Com eles, obtém empréstimo real no nome da vítima, mas desvia o dinheiro

Crédito consignado

O aposentado recebe uma ligação prometendo empréstimo. As falsas empresas mandam um contrato em casa para facilitar a liberação do crédito, mas a intenção é roubar os dados

Leilões

Outro golpe que esta sendo muito comum e vale ressaltar aqui, é a compra de veículos em site falsos de leilões no Estado de SC, os golpistas solicitam o lance antecipado para mostrar o veículo. Todos os Leilões em Santa Catarina são lançados através de Edital. Para evitar a propagação e minimizar a existência de falsos sites de leilões, a Associação da Leiloaria Oficial do Brasil (Aleibras) elaborou uma lista com sites considerados falsos e que está à disposição da população neste link. A Aleibras também orienta que o consumidor deve evitar qualquer transação comercial com os sites listados.